quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Livro apresenta famílias gay e lésbica para crianças em alfabetização



Este livro é recomendado pelo Ministério da Educação (MEC) e encontra-se em classes de Educação Infantil de todo o país. Inclusive, ele faz parte do grupo de livros destinados ao Programa Nacional para a Alfabetização na Idade Certa (PNAIC). Este que é um programa do Governo Federal em convênio com estados, municípios e universidades para alfabetizar toda criança até os 8 anos de idade.

                                           

De acordo com o texto de apresentação no catálogo Acervos Complementares (anos de 2013/15) do Ministério da Educação, este livro “trata das mudanças atuais nos conceitos de família e da diversidade cultural, religiosa, econômica e social das famílias contemporâneas.” Seguindo esse propósito, a obra apresenta com calculada naturalidade e igualdade de condições 13 arranjos familiares diferentes, dentre eles a família homossexual. 


                                                                         


A beleza artística e a qualidade do papel encontradas no livro impressionam não somente crianças, mas também adultos. A partir da capa, suas folhas lisas e brilhosas abrigam personagens, coisas e lugares criativamente desenhados.
A combinação dos tamanhos e cores das palavras na capa permite subentender a pretensão de grandeza e singularidade deste livro que se autodenomina "das famílias".
As autoras, duas inglesas, usam com propriedade a articulação entre o discurso verbal e o não verbal para a produção dos efeitos de sentido almejados. Elas dão mais ênfase à figura do que à escrita porque seus leitores, os alunos da Educação Infantil em fase de alfabetização, têm mais facilidade para compreender imagens. Desta forma, somente debaixo de algumas gravuras, inscrevem enunciados  breves, objetivos, em linguagem simples e uso consciente dos advérbios de afirmação.

Logo na primeira página, é apresentada uma família cujos membros são o pai, a mãe, uma filha e um filho. Esta família veste e calça conforme os trabalhadores rurais de algumas regiões do país. A postura corporal desleixada, o penteado, as roupas, o espaço em que eles se encontram, os instrumentos de trabalho (pá e regador), podem ser interpretados como indicadores de posição social. Os brinquedos, a bola com o filho e a boneca com a filha, são distintivos de gênero nesse modelo de família. 
                                    
O enunciado que aparece em cima da figura: “Muitos anos atrás, a maioria dos livros sobre famílias eram assim”, e a leitura da imagem, desqualifica e desatualiza este modelo de família. Situa-o, assim, num tempo longínquo e indeterminado, da mesma forma que são distantes e imprecisos o tempo dos contos de fadas. Partindo-se desse pressuposto, é possível conjecturar que as autoras comparam a família tradicional com o ideal romântico do conto de fadas.

Esta suspeita pode ser inferida a partir da afirmação embaixo da mesma figura: "Mas na vida real existem famílias de todo tipo, formato e tamanho." Ou seja, na vida real que escapa ao ideal do tradicionalismo familiar, há, sim, uma diversidade de tipos familiares com o mesmo grau de importância.

Esta ideia subliminar que se apresenta já no início do livro, obedece sua coerência até o final.

A página seguinte mostra a bucólica e aprazível casa da família tradicional: fora do aglomerado urbano, sem prédios para cobrir o sol baixo, cercada com estacas de madeira, flores, jardim, pomar,  cachorro e gato.   

                                                 


Mais adiante, com vestimentas e aspectos urbanos e modernos, duas mulheres cuidam de uma menina; dois homens, de um menino. Na mesma página, um casal tradicional com dois filhos. O que poderia causar estranheza é apresentado com naturalidade e aprovação pelo enunciado: “Algumas crianças têm duas mães ou dois pais.” 

 
É relevante neste livro o esforço para a desconstruir o conceito de família nuclear: pai, mãe e filhos. Isto levando-se em consideração que seu público é composto por crianças de 7 e 8 anos, cujas famílias são majoritariamente tradicionais. 

Trata-se de uma atitude deliberada de contradizer os valores morais dos núcleos familiares dos alunos. E esta pode ser considerada uma atitude reprovável porque  a escola deixa de respeitar a bagagem cultural trazida de casa pelo aluno. 


                   
É motivo de maior preocupação quando se trata de livro que faz parte da coleção do Plano Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC). O que se questiona neste importante programa de alfabetização é o porquê de se inserir nele a desconstrução da família tradicional para crianças ainda na infância, oriundas de famílias cristãs, notadamente as dos ramos romano, ortodoxo e protestante.
O livro, ao esquecer a Constituição, isto com a finalidade de normalizar novos modelos de família para crianças em fase de formação psicológica e física, trai a confiança da lei. Mais ainda: trai também a confiança dos cidadãos que vivem debaixo dessa Constituição porque prepara os filhos para burlarem o paradigma familiar dos pais.


Art. 226, da Constituição da República Federativa do Brasil (1988)

A família, base da sociedade, tem especial proteção do Estado.
§ 1º O casamento é civil e gratuita a celebração.
§ 2º O casamento religioso tem efeito civil, nos termos da lei.
§ 3º Para efeito da proteção do Estado, é reconhecida a união estável entre o homem e a mulher como entidade familiar, devendo a lei facilitar sua conversão em casamento.
§ 4º Entende-se, também, como entidade familiar a comunidade formada por qualquer dos pais e seus descendentes.
§ 5º Os direitos e deveres referentes à sociedade conjugal são exercidos igualmente pelo homem e pela mulher.
§ 6º O casamento civil pode ser dissolvido pelo divórcio, após prévia separação judicial por mais de um ano nos casos expressos em lei, ou comprovada separação de fato por mais de dois anos.
§ 7º Fundado nos princípios da dignidade da pessoa humana e da paternidade responsável, o planejamento familiar é livre decisão do casal, competindo ao Estado propiciar recursos educacionais e científicos para o exercício desse direito, vedada qualquer forma coercitiva por parte de instituições oficiais ou privadas.
§ 8º O Estado assegurará a assistência à família na pessoa de cada um dos que a integram, criando mecanismos para coibir a violência no âmbito de suas relações.

        

Estas duas páginas do livro (acima e abaixo) apresentam molduras que mostram o estado de humor das diferentes famílias. As duas famílias homoafetivas são retratadas em ambiente próspero e harmonioso. Há tranquilidade e segurança em suas fisionomias. As crianças sentem-se bem e seguras. Os estados de pobreza, ansiedade, tristeza, braveza, rispidez e mal humor ficam por conta de outros arranjos familiares, principalmente a família tradicional. 

A escolha da maneira de representar pessoas ou coisas por meio da escrita ou da imagem, não pode ser considerada desprovida de intencionalidade. Quando se fala ou desenha pessoas ou coisas, expressa-se opinião particular ou coletiva acerca do objeto. Entra-se, então, no campo da subjetividade... O que se depreende com estes desenhos são o aspecto dedutivo (como recurso de convencimento) e o favorecimento implícito das duas famílias homoafetivas, em relação às demais. Estes dados não podem ser desprezados porque a criança consegue perfeitamente extrair das imagens os pressupostos  estabelecidos intencionalmente.



Um projeto contra a “homofobia” na escola?

Engana-se quem considere o ensino da orientação homossexual na educação básica, tomada como medida padrão de sexualidade a ser ensinado, seja adequada ao combate do preconceito contra o homossexual na escola. Ainda mais quando este ensino sistemático, conduzido pelo Estado, não é antes debatido com as famílias dos alunos, com os diretores e professores das escolas.
Se, por um lado, a discriminação de pessoas por causa da opção homossexual não deve ser admitida, por outro lado, o Estado precisa respeitar as famílias tradicionais dos alunos, sobretudo as que pertencem ao segmento religioso cristão. Nesse sentido, não se deve utilizar a rede de ensino público para estimular crianças ao comportamento homossexual através de material didático.  As escolas devem ser espaços neutros com respeito a este assunto, principalmente quando o público é infantil e juvenil.
Ensinar uma criança a respeitar as diferenças individuais é muito diferente de orientá-la para uma determinada compreensão ou prática. Embora os valores do respeito e da solidariedade comecem a se estabelecer em casa, a escola exerce importante papel complementar à família, quando ensina ao aluno que é preciso respeitar quem é negro, albino, sarará, baixinho, gordinho, feio, orelhudo, magricelo, tímido; assim como quem se apresenta homossexual, religioso, ateu, etc. Mas em nenhum momento deve haver atenção especial para A ou B. 
A valorização do respeito às diferenças, limites e condições de cada ser humano, independe de suas particularidades. Qualquer "política" que destoe disso significa favorecer uns em prejuízo dos outros, seja por preferência de condição física, crença, comportamento ou ideologia.

Considerações


Os movimentos organizados de defesa do homossexualismo exercem influência nas políticas educacionais do MEC. Eles agiram estrategicamente ao inserirem nos livros didáticos de algumas disciplinas os temas relacionados ao comportamento sexual e a configuração familiar. Educadores e pais que discordam dessas ações vêm denunciando a intenção desses grupos de doutrinar crianças e jovens nas principais fases de desenvolvimento psíquico e corporal.


Segundo essas denúncias, as propostas que teriam o objetivo de combater o “preconceito” (leia-se: opinião contrária) contra o homossexual na escola, acabará produzindo uma geração de pessoas sem definição clara de padrões para o comportamento sexual.  


É bom ressaltar que as novas concepções de gênero ainda não possuem embasamento científico suficiente para levá-las à categoria de matéria de ensino escolar. Existe muito mais apelo político e ideológico por trás dos movimentos que se engajam nessas causas, inclusive acadêmicos, do que conhecimento empírico.

Tendo em vista essa nova realidade da escola, os pais precisam acompanhar mais cuidadosamente o conteúdo moral e cultural transmitido aos seus filhos. A responsabilidade de estabelecer as bases dos padrões morais, religiosos e culturais para os filhos é da família e não do Estado. Ainda mais quando o assunto é a orientação sexual porque há o risco de ensinar às crianças e aos jovens conceitos equivocados sobre o assunto.


Sendo assim, é de estranhar a insistência do Estado em inserir na grade curricular da escola pública temas carregados de controvérsia e carentes de estudos aprofundados e conclusivos. A não ser que a intenção do Estado seja retirar da família a autoridade sobre a formação do caráter pela consequente educação moral dos seus filhos.


Orley José da Silva, é professor em Goiânia, mestre em letras e linguística (UFG) e mestrando em estudos teológicos (SPRBC).



    



27 comentários:

  1. Respostas
    1. O estado não tem a tutela de nossas crianças para ensina-los o que acha correto, isso é obrigação dos pais. Viva a família. Fora com o mec e seus lixos.

      Excluir
  2. Simona..se aacha tão horroroso..pq vc lê? Isso te incomoda? e pq não respeita a ipinião contrária a sua? Pense...

    ResponderExcluir
  3. Muito bom o blog, precisamos reagir contra essa nada sutil destruição dos valores e proteger a família de verdade que é a base de tudo. A família está sendo atacada como nunca por esses imbecís. Tem gente que não entende porque tem a mente ja feita por essa ideologia diabólica, esses não devem ser ignorados, mas deve-se buscar meios de instruí-los, de abrir os seus olhos. É a missão de cada um de nós.

    ResponderExcluir
  4. Estou sempre a tento para que essas porcarias não cheguem nas mãos de meus filhos.

    ResponderExcluir
  5. Vcs conhecem este post sobre livro didatico falando sobre o diabo para as crianças acharem q ele é amigo? Olhem no link...
    http://www.pazevida.com.br/index.php?p=pa-noticias-detalhes&id=105

    ResponderExcluir
  6. Excelente o conteúdo deste blog!!! Acompanharei sempre, seguindo. Paz!!! Graça!!!!

    ResponderExcluir
  7. Gente esse blog é muito bom.

    ResponderExcluir
  8. O estado não tem a tutela de nossas crianças para ensina-los o que acha correto, isso é obrigação dos pais. Viva a família. Fora com o mec e seus lixos.

    ResponderExcluir
  9. Esse povo que critica família esqueceram que nasceram de PAI e MÃE...Esquecem que tem Pai,Mãe,Irmãos e Irmãs...Devem ter nascido tudo de chocadeira...

    ResponderExcluir
  10. De Deus não se zomba, o que o homem plantar sertamente colhera , esta na biblia
    Amém!!!

    ResponderExcluir
  11. Absurdo este governo! Querendo destruir as familias.. Deturpando a verdade universal a palavra de Deus!Deus nos ajude..

    ResponderExcluir
  12. Adorei o seu blog e q isso nao chegue nos meus filhos

    ResponderExcluir
  13. concordo com o disposto acima, as pessoas esqueceram que nasceram de pai e mãe. Mas esse é o propósito de Satanás, que mudem o foco do propósito de Deus: Família sendo constituída por Homem e Mulher. Penso que precisamos cuidar rever nossos princípios e cuidar de nossa casa, nossa família, porque penso eu que quando uma criança contempla pai e mãe "brigando' em casa, e a menina que tem na figura de seu pai o "primeiro homem da vida dela" uma pessoa grossa, estupida, corrupta, etc. pra que ela vai querer casar com homem. " se as mulheres se entendem" é mais ou menos por aí.... e vice -versa, quando a mãe fala mal do marido para filha ou marido parece descontente com sua esposa em casa que exemplo está dando aos filhos. qual o desejo dessas crianças crescerem e formarem um casal entre homem e mulher?? já que casamento é tão ruím assim, como o "mundo" diz?? Gente!!! vamos rever nossos valores, cuidar de nossas crianças, educação vem de berço, o que se planta se colhe, isso é certo! vamos começar por aí??

    ResponderExcluir
  14. Família é a partir de homem e mulher. O mundo já virou as costas pra Deus há muito tempo. Por favor, mais essa para entristecer o coração de Deus, não...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente,casal é homem e mulher, e foi Deus quem deixou assim, Deus criou o homem e a mulher, não o homem e homens, nem mulher e mulher. Vcs nunca saberão o prazer de gerar um filho, não se brinca com a palavra de Deus. O dia dessas pessoas estão chegando,ensina o seu filho no caminho que deve andar, andar com Deus. Amém.

      Excluir
  15. Na boa?? Quanta bobagem escrita!!!
    Primeiro lugar, ao citar a Constituição, adiantou a fraqueza dos argumentos.. uma coisa escrita a tanto tempo não pode ser usada para os dias de hoje. Ela esta desatualizada e a pessoa que não enxerga isso é cega. É a mesma coisa que eu pegar um livro falando da igualdade entre brancos e negros logo após a abolição dos escravos: De certo muitos não concordariam com o conteúdo, mas as gerações futuras sabem que mudou (e ainda tem que mudar mais) os pensamentos sobre as diferenças raciais... Exatamente o que vemos hoje: alguns que já compreenderam as orientações sexuais e outros, com pensamentos arcaicos, que acham um absurdo o gosto por pessoas do mesmo gênero.
    O fato de colocarem os casais gays como famílias felizes é o mesmo pelo qual não vemos imagens de negros em posições de dificuldades (a não ser que o assunto seja especificamente sobre racismo): para evitar polêmicas por defensores das minorias. Mas pelo visto os defensores da "família tradicional" enxerga o contrário, como se isso fosse para enaltecer a homossexualidade.
    Tem uma propaganda que está sendo veiculada na tv, da Coca Cola, em que uma menina negra faz os pais adotivos engolirem sexo e se orgulharem de como consegue compreender a situação e saber que é normal e positiva a adoção. Em breve teremos as crianças mais articuladas e com mais conhecimento em assuntos relacionados à orientação sexual.
    Reflitam mais!! Nem tudo é conspiração!!

    ResponderExcluir
  16. Deveria ter mais respeito com as familiais. Deus nasceu de uma família. Todos somos livres para as nossas escolhas mas manipular criança é covardia. Família é uma criação de Deus.Só querem implantar a ideologia satanianas famílias. Aqui não

    ResponderExcluir
  17. Olha em primeiro luga esse blog foi criado pelo lado dos criticos tanto do lado bom e do ruim. Eu sou do lado bom, sou CRISTÃO e amo todas as pesoas que existem, só as vezes a gente gosta mais de uma do que de outra, mas gosto não é o mesmo que amor, por tanto amo de coraçãoa todos!!! Maa o que leva a escrever aqui é o seguinte não sou contra a nenhuma escolha que cada pessoa fizer, eu apenas não aceito pra mim certas coisas... e não aprovo de jeito nenhum de um governo qual quer que seja o partido impor pras pessoas que familia tem que ser homem com homem e mulher com mulher se bem que a VIDA nossa minha e de vc ou vcs foi gerada por um homem e uma mulher entao homem com homem não gra fillhos por tanto não tem familia e mulher com mulher não gera filhos por tanto não gera familia.. é ridiculo quereem impor que temos que aceitar eu não aceito.. faço uma pergunta a quem concorda com isso que casal homem com homem e mulher com mulher temos que concordar e aceitar como lei. VC que pensa assim gostaria de se vc tiver um filho sendo gerado desde ainda embriãozinho.. vc já falaria assim pertinho da barriguinha ai meu gaysinho ou ai minha lesbica que vai nascer.. vc diria e queria isso? tenho certeza que não pq ninguem quer isso.. agora a escolha de cada um não tem que interferir na escolha dos outros como estao querendo fazer.. e outra coisa SABIAM que TIRAM A BIBLIA SAGRADA do congresso ou seja da cupula da presidencia da republica? respeito a opiniao de cada um mas não quero que ningeum me imponha tais coisas do capeta pra mim.. DEUS é o poderoso

    ResponderExcluir
  18. precisamos de representantes que se preocupem com o bem estar do povo dando condições de sobre vivencia digna, dando condições de trabalho e educação sadia, e venham a valorizar aquilo que sempre deu certo, a família é a célula mater da sociedade. Eu quero perguntar para estes mal intencionados, se no tempo dos seus avós fosse aprovado uma lei onde não pudessem mais casar homem com mulher, onde estaria hoje estes que estão implantando este material o qual chamam de didático? o casamento gay não gera filhos, se for por eles destruiriam a população do planeta em apenas uma geração. se é um mal tão grande porque querer tornar os nossos filhos em homossexual? qual a vantagem que o governo tem em fazer isto? muito mais pessoas com AIDS, e outras doenças venéreas, e isto custara uma soma maior de gastos para os cofres públicos. Veja o que a bíblia diz em Romanos 1:e versículo 26- 28 26 Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.
    27 E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.
    28 E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm; Então veja que este povo esta entrego ao seu próprio erro por isso estão agindo assim mas não ficarão impune. E eu como cristão fico indignado com uma decisão tão errônea de nossos governantes, que ao invés de protegerem o povo quer destruir o povo. convido o povo para que daqui a pouco chega a hora de votar vamos tirar fora todos es mal intencionado, que querem nos prejudicar.

    ResponderExcluir
  19. Jesus esta voltando em apocalipse esta escrito no capitulo 22.versiculo 5 ficarao de fora os homssexuais,os feiticeiros,os que se prostituem e os homicidas os idolatras e qualquer que ama e comete a mentira. tem pessoas que dizem Deus só que o coraçao quem penssa assim esta enganado Deus fez o homem imagem e semelhança dele queira o homem acreditar ou nao tem que se cumprir as escrituras ha um abismo que separa o homem de Deus o pecado mas se o homem se arrepender e pedir a jesus para perdoar e o aceitar como salvador da sua vida ele perdoara só jesus pode perdoar pecados a igreja do senhor jesus esta vivendo seus ultimos dias aqui na terra .ainda há tempo de aceitalo como seu salvador.o ceu é real mas o inferno tambem alguem ja fez essa pergunta a si mesmo onde passarei a eternidade? voce tem direito de escolher só voce.

    ResponderExcluir
  20. Cada dia que passa peço mais que o Senhor volte logo ...não dá pra suportar satanás tomando conta da mente das pessoas...esse mundo está fadado ao fracasso querendo incutir essas ideologias malditas em nossas famílias se aproveitando da inocência de nossas crianças pra ludibriar os olhos delas com imagens fora dos padrões morais e éticos criados por Deus. Isso é absurdo a ache ruim quem quiser "JAMAIS ACEITAREI ESSA IDEOLOGIA". Não somos obrigados a aceitar imposição do governo de ensinar essas porcarias pros meus filhos. já basta os transtornos que passamos quando abrimos a TV ou a Internet que tenta passar essa ideologia maldita pras nossas famílias, tentando enfiar guela abaixo toda essa coisa. E mais agora os APPs sociais como facebook e whatsapp com icones homossexuais e de ideologia de género....Sou cristã e coisas vindas da ideologia satânica não entrarão em minha casa. Não critico quem queira ser ou viver essa maldição em sua vida mais não venham querer obrigar a todas famílias tradicionais a aceitar esse absurdo.
    E que mais famílias se manifestem pra que essa coisa toda seja destruída.
    ABAIXO COM ESSA PORCARIA TODA!NÃO A IDEOLOGIA DE GÉNERO. NA MINHA CASA NÃO!

    ResponderExcluir
  21. Excelente a matéria. Infelizmente estamos ficando apenas nos blogs, whatzap, emails. O que estão fazendo é empurrando guela à baixo o pensamento de uma minoria. Dá maneira como vai daqui a muto pouco a pedofilia vai ser considerada uma opção, e que a criança como um ser pensante é capaz e livre para permitir este ato. Temos de nos movimentar nas ruas. Mostrar que não estamos contentes e que clamamos por mudanças.

    ResponderExcluir
  22. isso só nos mostra que o fim está próximo,pois isso que o mec está fazendo, vai contra todos os principios de uma familia cristã..... senhor tende piedade desta pessoas que tentam implantar na mente das pessoas que tudo isso é normal...

    ResponderExcluir
  23. Outros livros infantis a venda sobre essa temática

    “A PRINCESA E A COSTUREIRA” "JOANA PRINCESA" Um absurdo!!!

    ResponderExcluir
  24. Outros livros infantis a venda sobre essa temática

    “A PRINCESA E A COSTUREIRA” "JOANA PRINCESA" Um absurdo!!!

    ResponderExcluir