quinta-feira, 24 de março de 2016

Maria do Rosário defende direitos humanos em livro didático/2016





A deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) ilustra um conteúdo de língua portuguesa cujo enunciado principal versa sobre reivindicações de crianças e adolescentes indígenas. Na mesma página, o nome da então ministra dos Direitos Humanos aparece três vezes como ouvinte e recebedora dos anseios do 1º Fórum Direitos e Cidadania na Visão das Crianças e Adolescentes Guarani Kaiowá, ocorrido na Câmara dos Deputados, em Brasília, no dia 22 de outubro de 2013.  

As autoras do livro ao tratarem da temática indígena escolheram para o relato do referido Fórum encontrado na página eletrônica da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Uma pergunta que pode ser feita é por que a escolha desse texto e não de outro que apresentasse a questão indígena sem personificar qualquer figura do Governo?

Outro questionamento é sobre a escolha de um evento ocorrido em 2013 para compor um livro didático para o triênio 2016/18. Por que as autoras não lançaram mão de um texto mais atualizado?

Em sistemas de ensino que fazem questão de acentuar um determinado viés ideológico, é comum a promoção, mesmo que discreta, de personagens ligados a partidos políticos ou movimentos sociais. 

Com a apresentação dessas pessoas e de suas bandeiras políticas nos materiais didáticos, emprestam-lhes credibilidade junto ao público estudantil. Mesmo que esse público seja composto de alunos do 4º ano do ensino fundamental, crianças de 9 anos de idade.  

É claro que as crianças não votam. No entanto, nesse modelo de ensino, os livros levam-nas a admirar personalidades políticas e bandeiras sociais. Preparam, deste modo, eleitores fieis e militantes aguerridos para o futuro. Para um partido ou conjunto de partidos que constroem um projeto perpétuo de poder, a doutrinação das crianças na escola constitui-se em estratégia básica.

O livro em referência faz parte do Plano Nacional do Livro Didático (PNLD/2016) e tem circulação nacional. Pode-se aventar que o Partido dos Trabalhadores (PT) ganha em simpatia com as crianças porque liga-se à figura da deputada Maria do Rosário, inserida numa causa de apoio às crianças e adolescentes indígenas. Já a deputada, certamente levará vantagem junto aos alunos do seu estado, o Rio Grande do Sul, visto que terá sua imagem marcada positivamente no imaginário deles.

Orley José da Silva, é professor em Goiânia, mestre em letras e linguística (UFG) e mestrando em estudos teológicos (SPRBC)


Artigos relacionados:

Dilma é melhor candidata que Serra e Marina:

Lula e Fidel Castro exemplo de oradores para as crianças:

Lula é o melhor presidente para os pobres:















5 comentários:

  1. Já a décadas os livros de português doutrinam as crianças. Na minha época os livros de português eram cheios de MPB, sempre com um tom socialista, colocando o governo militar como a direita-americana-totalitária. Já corroendo a consciência das crianças com a "teoria crítica" do marxismo cultural.

    ResponderExcluir
  2. Na verdade o que eles querem é a simpatia e admiração de nossas crianças, como consequência futuros militantes desse partido.

    ResponderExcluir
  3. Na verdade o que eles querem é a simpatia e admiração de nossas crianças, como consequência futuros militantes desse partido.

    ResponderExcluir
  4. É um material panfletário ideológico. Trabalho de militância político-partidária.

    ResponderExcluir
  5. Que nojo.
    Queremos língua portuguesa nos livros, não doutrinação política de comunista.

    ResponderExcluir