Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2018

Quanto o Brasil gasta com pesquisas de Gênero?

Será que as pesquisas multiculturais e interculturais, incluídas nelas as de gênero e aborto, constituem-se em um dos maiores gastos brasileiros com pesquisa científica?
Estas perguntas estão à espera de resposta desde que a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (SECADI), do Ministério da Educação (MEC) revelou, no final de 2015, que há mais de 1.000 grupos de pesquisa cadastrados no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) tendo o gênero como eixo de estudo.

Confira a informação aqui:
Notícia dos 1.000 grupos de estudos de gênero cadastrados no CNPQ

A revelação desse número de grupos de estudo do CNPq  permite inferir que há pelo menos 15.000 pesquisadores, muitos deles com bolsas de estudo, exclusivamente dedicados ao desenvolvimento da temática de gênero nas universidades, faculdades e institutos tecnológicos superiores. Isto se estiver correta nossa estimativa de 15 participantes, em média, por grupo de estudo.

Logicamente…

Ferramenta do Facebook induz internauta ao erro, com pergunta sobre gênero

Na base da "brincadeira" a Ideologia de Gênero vai acostumando a sociedade com suas propostas de novas definições corporais e relacionais. Antes, fez outras perguntas. Uma delas, como estaria a aparência da pessoa na velhice. Todas, porém, com o intuito de estimular a curiosidade do internauta e prender sua atenção. Um preparo de terreno para trabalhar pedagogicamente, de maneira subliminar, aquilo que realmente interessa a essa agenda de revolução cultural que é a criação de um consenso discursivo e a popularização do conceito de gênero. E tantos têm sido aqueles que se deixam iludir!

Gênero e Sexo não são palavras sinônimas. Elas pertencem a categorias distintas. E uma categoria exclui a outra. Ambas, definem o ser humano de maneira diferente. O sexo é fixo e se divide em masculino e feminino. Ele diz respeito à realidade OBJETIVA (biológica, anatômica, hormonal, psíquica, cromossômica) do corpo humano. O gênero, ao contrário do sexo, é não fixo e multiforme. A lista de p…

Como o livro didático explica às crianças o surgimento do mundo, do homem e das coisas

As religiões explicam o aparecimento e destino de todas as coisas, legitimadas pela crença dos fieis. E é por meio dessa crença que as pessoas encontram pertencimento social, significam e ressignificam suas vidas. Este, portanto, não é um tema qualquer.


Imagem adaptada de uma das páginas de livro publicadas abaixo.


As imagens abaixo pertencem ao lote de livros didáticos do PNLD/MEC 2016-2018, da primeira fase do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano, destinados às crianças de 6 a 10 anos). Exceto as imagens do livro paradidático. Esses livros didáticos estão sendo utilizados no país, tanto em escolas públicas e particulares, inclusive confessionais.
A criação do homem, dos deuses, do mundo, das coisas e dos fenômenos naturais são apresentados de acordo com algumas cosmologias, especialmente a indígena e da religiosidade tradicional afro-brasileira.
Vale destacar que o mesmo destaque e privilégio não é dado aos iguais elementos da cosmologia cristã. Aliás, pode-se considerar que ela seja apaga…