sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

MEC não desiste: livros de 2016 para crianças de 6 a 10 anos vêm com Ideologia de Gênero




As crianças de escolas públicas e privadas que estudarem com os livros didáticos/2016 do MEC para a primeira fase do Ensino Fundamental serão informadas sobre arranjos familiares de gays e lésbicas, com adoção de filhos. Elas tomarão conhecimento de bigamia, poligamia, bissexualismo e transsexualismo. Aprenderão a observar melhor os próprios corpos e os corpos dos outros através de exercícios em sala de aula, orientados pelo livro didático. Os livros também lhes dirão das doenças sexualmente transmissíveis e dos mais diferentes métodos anticonceptivos. A ministração desses conteúdos se inicia já no 1º ano, onde os alunos têm 6 anos de idade e, numa gradação de complexidade, termina no 5º ano com alunos de 10 anos. 

A estratégia pedagógica obedece ao princípio da repetição exaustiva do conteúdo. Durante o mesmo ano letivo o aluno ouvirá, lerá e fará exercícios seguidas vezes sobre esses assuntos com professores e disciplinas diferentes: Português, Geografia, Ciências, História, Ciências Humanas e da Natureza, etc. O discurso único na diversidade de disciplinas e professores confere maior credibilidade ao conteúdo. Além das aulas expositivas, os próprios livros encaminharão os alunos para atividades complementares sob a orientação dos professores como: leitura de livros, filmes, músicas, debates e produção de cartazes. 

Trata-se da aplicação do princípio segundo o qual uma história, mesmo que fantasiosa, quando repetida várias vezes, adquire valor de verdade. Neste caso, o esforço do MEC é para atender os objetivos de desconstrução da heteronormatividade e do conceito de família tradicional previstos no Plano Nacional de Direitos Humanos 3 (PNDH3), assinado pelo presidente Lula em 21 de dezembro de 2009.  



O artigo 226 da Constituição é ignorado completamente pelo material didático para falar da formação de família. Isto caracteriza o desrespeito do próprio Governo com a Carta Magna, por meio do MEC. Enquanto a Constituição elege como base da sociedade a família que é formada pelo casamento entre "um homem e uma mulher",  os livros insinuam às crianças através das imagens de modelos de família apresentadas que não há um modelo padrão de família, mas o casamento como a união de "duas ou mais pessoas", independente do sexo. 

Mas o MEC também desconsidera a vontade majoritária do povo expressa por meio de seus representantes nos três níveis de parlamento, quando das votações dos Planos Nacional, Estaduais e Municipais de Educação. Nessas ocasiões, a inserção da Ideologia de Gênero nos planos de educação foi severamente rejeitada pela maioria dos parlamentares. Como se não bastasse, esse tema para o ensino da moral sexual de crianças na escola é amplamente rejeitado pela maioria esmagadora da população, como demonstram pesquisas de opinião.






Diante da premeditada desobediência governamental às leis e à violação da vontade do povo para a educação moral dos filhos, o que fazer? Com os livros corrompidos pela Ideologia de Gênero que chegarão intempestivamente às salas de aulas, quem defenderá as famílias da afronta governamental? O que poderá fazer o Ministério Público? O que poderão fazer vereadores e deputados estaduais para impedirem que os alunos tenham acesso a esses conteúdos? O que poderão fazer professores cujas consciências não lhes permitam ensinar essas matérias às crianças? Quais tipos de penalidades e/ou censuras administrativas e/ou profissionais esses professores poderão sofrer, não agora, mas no futuro quando a ideologia estiver definitivamente implantada? Como farão os pais diante da obrigatoriedade de manter os filhos na escola, sob risco de serem penalizados judicialmente, mesmo sentindo-se indignados por terem seus princípios e valores para a educação sexual da prole violentados pelo Estado?

Por enquanto, as leis estão do lado dos pais. A Constituição e o Estatuto da Criança e do Adolescente asseguram a eles o direito pela educação dos filhos. Com base nesse princípio, o Procurador da República Guilherme Schelb elaborou uma "notificação extrajudicial" que o pai preenche e leva à escola. Nesse documento o interessado notifica à escola que não permite o acesso de seu filho a determinados conteúdos morais. Em caso de desobediência, a escola e o professor poderão ser processados por danos morais e estarão sujeitos a pagarem indenização. Este documento pode ser baixado no computador do seguinte endereço: www.bit.ly/protegerfamilias  
Assista ao vídeo do Procurador da República Guilherme Schelb com a explicação sobre o modelo de "notificação extrajudicial":


 

Muitas outras perguntas surgem nesse momento angustiante da educação brasileira. Que tipo de avaliação é feita sobre a maturidade física e psicológica dos alunos para receber esse conhecimento? Quais os possíveis processos mentais que seriam mobilizados nas crianças no momento da apresentação do conteúdo e depois dele? Que tipo de transformação, em tese, é possível de ser operada na mente da criança?  Que efeitos de (re)formulação ou (re)modelação do caráter e dos valores morais dos alunos poderão ser operados? Este ensino pode estimular precocemente desejos e curiosidade sexual nas crianças? Quais as possíveis consequências que a erotização precoce de crianças podem trazer para o futuro delas e das suas famílias? O direito ao prazer sexual das crianças, que é defendido academicamente por essa ideologia, não deveria antes subordinar-se ao direito dos pais de criá-las de acordo com suas convicções de moralidade familiar? Quais os tipos de conflito em casa poderão gerar a (re)programação desses valores nos alunos, principalmente os de formação familiar e de orientação sexual, que é efetuada pela escola?

(livro 16, imagem 1a)

Levando-se em consideração que os conteúdos em referência sejam puramente ideológicos, visto que carecem de experimentação e consenso científico, qual o respaldo legal do Governo para adotar uma ideologia como política pública universal? 

De acordo com o MEC esta política de orientação sexual e familiar para as crianças, prevista nos temas transversais, é verdade, visa criar no futuro uma sociedade idealizada que aceite bem as diferenças de gênero e de arranjos familiares. Ainda conforme escritos fundantes dessa ideologia, as famílias não estão preparadas para a educação dos seus filhos nesse tema, porque são portadoras de tabus e preconceitos, pela influência que elas receberam da tradição familiar e da religião. 

Pois bem. Quais os parâmetros utilizados para este julgamento? Pensar dessa forma não seria contradizer a crença dos estudos de gênero no relativismo moral, pela vontade de desconstruir socialmente uma verdade e estabelecer outra? 

Será mesmo que essa estratégia escolhida é a melhor, honestamente, para combater o alegado preconceito contra as diferentes orientações sexuais e arranjos familiares? Não haveria um ponto de consenso capaz de pacificar as relações sociais entre os grupos favoráveis e contrários a esse modelo de ensino na escola? A reação contrária das famílias tradicionais não seria motivada pela intenção deliberada de desconstrução do seu modelo familiar, (Pasmem! uma desconstrução familiar e sexual da sociedade operada pelos agentes do Estado, no caso os professores, a partir da doutrinação dos filhos das próprias famílias tradicionais!! Uma espécie implantação de um "Cavalo de Tróia" no seio da família tradicional!!) comprovada em teorias acadêmicas e pelas leis, a exemplo do PNDH3? Isto porque a família tradicional, apesar de alegações contrárias,  almeja a convivência pacífica; defende a proteção e o respeito a todos, inclusive para as diferentes opções sexuais e familiares. 

O grande entrave, pelo visto, é tratar-se de uma questão muito mais ampla do que se discute no senso comum, porque faz parte de um pacote complexo de intenções. É uma temática que se insere no campo político e ideológico para a promoção de uma profunda revolução sexual e de costumes, a partir das crianças e adolescentes em idade escolar. Na verdade, um projeto para o futuro de mudança de eixo civilizatório.

É lastimável que existam pessoas comuns, visto que não fazem parte da esfera das cabeças pensantes da força política e ideológica que norteia esse projeto, que padecem com suas opções sexuais. Elas ficam no meio do fogo cruzado dessa guerra cultural e acabam sofrendo, injustamente, toda a pressão. Essas pessoas precisam de reconhecimento, acolhimento, compreensão e oportunidades no sistema democrático e no Estado de Direito e não de serem instrumentalizadas como massa de manobra.


(livro 18, imagem 2a)

Um dos argumentos de quem defende a família natural para se opor ao ensino da sexualidade para crianças na escola da maneira que pretende o MEC é a suspeita da ocorrência de uma possível "confusão de identidade" na adolescência.  Para esta visão, é natural que meninos e meninas, por volta dos 12 ou 14 anos tenham pelo menos uma amizade intensa com pessoa do mesmo sexo. Isto sem qualquer conotação amorosa ou sexual. São carne com unha; amigos inseparáveis. Confidenciam-se e são cúmplices de sonhos e projetos. Os adultos, invariavelmente, já passaram por esta experiência. Pois bem. A criança que recebe esse tipo de orientação sexual e familiar desde os 6 anos de idade pode assimilar tanto essa maneira de pensar que fique mais propenso a confundir essa amizade natural do mesmo sexo com amor ou paixão. E não seria este o objetivo implícito da ideologia? 

Para a realização desta pesquisa, foram verificados livros recomentados pelo Programa Nacional do Livro Didático/2016, do Ministério da Educação, que selecionou livros de 19 editoras diferentes. Tivemos acesso a 11 editoras e todas elas trazem o tema da Orientação Sexual e Familiar, de acordo com a Ideologia de Gênero. É provável que, em atitude de desafio à democrática vontade do povo e suspeitando da reação negativa das famílias dos alunos, além de professores, as editoras tenham firmado um pacto para que todas elas trabalhassem o assunto na mesma perspectiva. Por outro lado, não se pode descartar a possibilidade que tenha havido uma determinação superior, até mesmo do próprio MEC, para que este procedimento ousado ocorresse. Isto porque o Planalto tem feito deste tema uma de suas políticas públicas mais prestigiadas.

Caso não haja agora uma dura reação da opinião pública, dos políticos, do Ministério Público e, especialmente dos pais, o MEC e as editoras continuarão avançando com essa imposição ideológica. Em vista disto, surge no mercado editorial brasileiro um nicho comercial de perfil conservador enorme que deverá ser preenchido por editoras dispostas a atendê-lo. 


(livro 2, imagem 2a)

Esses livros extremamente radicalizados na revolução da moral e dos costumes que chegaram este ano ao mercado não atendem aos interesses e aos valores das escolas tradicionais, notadamente evangélicas e católicas. A partir de agora, as escolas que se dedicarem à produção do próprio material didático terão esse diferencial para apresentarem aos pais. 

Além do mais, tomara que se levantem bons e talentosos escritores de livros didáticos e paradidáticos, como os literários e as cartilhas. Tomara também que surjam editoras sérias e comprometidas com os valores tradicionais para investirem nos projetos da nova leva de escritores.

Gostaríamos de esclarecer o leitor acerca da crença que estamos dentro de uma Revolução Cultural e Sexual de grandes proporções. O tema trabalhado neste artigo é apenas um viés dessa revolução que tem por objetivo provocar mudanças significativas a maneira de ser, pensar e crer da sociedade. A desconstrução das culturas judaica e cristã e o consequente apagamento dos seus valores morais e éticos na sociedade, constitui-se em alvo prioritário dessa revolução.

Ao afastar compulsoriamente a família dessa responsabilidade educadora para assumir o seu lugar, o Governo alinha-se ao pensamento fundamente da Ideologia de Gênero para quem a família não está devidamente preparada para a orientação sexual e familiar dos filhos. Isto porque não acompanha as mudanças sociais, é portadora de tabus e preconceitos arraigados em função da influência que recebe da tradição familiar e da religião.

A educação das crianças na escola, não somente pública mas também privada e confessional, era a última barreira a ser vencida pela revolução sexual e de costumes que o Governo apadrinha. Pelo visto ela foi vencida agora com a chegada desses livros, a menos que haja uma reação incisiva e qualificada da sociedade civil, declaradamente contrária à esse projeto, que busque proteger à integridade física, moral, emocional e psicológica das crianças em idade escolar.

Deixando a formalidade textual para encerrar o artigo, a palavra se abre para os pais de crianças em idade escolar, de cada cidade do país. Têm direito também a ela os parlamentares que na Câmara dos Deputados, no Senado, nas Assembleias Legislativas e Câmaras de Vereadores debateram e votaram contra a inserção da Ideologia de Gênero nos planos de educação. Ao Ministério Público cabe o direito natural desse tipo de defesa pública. Que essas vozes se levantem contra a intenção de fazer das crianças da atual geração, cobaias para um projeto ideológico.

Orley José da Silva, é professor em Goiânia, mestre em letras e linguística (UFG) e mestrando em estudos teológicos (SPRBC).





PARA MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O TEMA:

A título de melhor compreensão do assunto, sugerimos a busca de textos e vídeos no google e youtube,  para leituras e estudos, dos seguintes nomes: Miguel Nagib, Guilherme Schelb, Prof. Felipe Nery, Olavo de Carvalho, Damares Alves, Marisa Lobo, Julio Severo, Deuza Avellar, Fernanda Takitani e Padre Paulo Ricardo.

Conheça também o Escola Sem Partido, que luta contra a doutrinação política e ideológica no sistema de ensino. Conheça e divulgue para vereadores e deputados estaduais o Projeto de Lei Escola Sem Partido. Há no site duas versões prontas: uma para câmaras municipais e outra para assembleias legislativas. Baixe-as neste endereço: http://www.escolasempartido.org/
Conheça também uma das mais completas páginas no facebook sobre Ideologia de Gênero: https://www.facebook.com/Goi%C3%A1s-Sem-G%C3%AAnero-826643267416035/?fref=ts

Obs.: artigo revela mais de 50 ocorrências de Ideologia de Gênero na proposta de Base Nacional Curricular Comum 

Conheça a fan page no facebook do "de olho no livro didático" e vejam as imagens atualizadas dos livros e notícias da resistência da sociedade civil nas cidades contra o estudo desse conteúdo nos livros pelos alunos.



SEGUEM MAIS IMAGENS RETIRADAS DOS PRÓPRIOS LIVROS:

(livro 14, imagem 1a)

Qual o interesse dos autores do livro didático de escolherem apresentar às crianças uma família polígama? Não seria um trabalho de "normalização" para as crianças desse tipo complexo de união que os "progressistas" insistem em legalizar no país? É de notar a maneira positiva que essa família é mostrada na fotografia.

(livro 17, imagem 1a)

As diferentes famílias mostradas no mesmo espaço passam a impressão de naturalidade às crianças.


Uma família brasileira do século XXI, ou seja, avançada. Alguém consegue defini-la?




Este exercício refere-se ao contexto da fotografia acima. Observem que fala sobre direitos relacionados a temas abstratos, alguns de difícil alcance ainda para as crianças. Toca em crença religiosa, sexualidade e depois fazem a seguinte pergunta: Voces defendem a liberdade de as pessoas pensarem e agirem como quiserem? Certamente a questão tenta justificar o "avançado" modelo de família da foto com o argumento de que as pessoas têm liberdade para agirem como quiserem. Mas e as crianças? Elas têm essa mesma liberdade? O texto pretende instigar esse desejo de liberdade nelas, ou seja, de agirem como quiserem na vida sem a interferência de terceiros? O direito de agir como quiser é um direito pelo qual as crianças devem lutar? Vocês também não acham que tanto a foto (se é que ela representa uma união amorosa de 3 pessoas) quanto as perguntas do questionários sejam inadequadas para o nível de maturidade física e psicológica das crianças?

(livro 10, imagem 3)

O MEC considera que alunos com 10 anos de idade já estão em atividade sexual para apresentar-lhes métodos anticonceptivos? Ele acha que alunos com 10 anos de idade já frequentam baladas e se relacionam sexualmente com qualquer pessoa? Essa criança pode dirigir-se à unidade de saúde e requisitar uma camisinha? Os funcionários da unidade de saúde também concordam em fornecer esse tipo de material para crianças de 10 anos? Esses infantis precisam fazer testes de aids, sífilis e hepatites virais, provavelmente adquiridos em relações sexuais? Mas este cartaz é direcionado justamente para as crianças dessa idade! 


(livro 1, imagem 2)

Todo discurso é ideológico porque suas partes constitutivas são escolhidas dentre as diversas possibilidades pelos sujeitos. E as escolhas são seletivas, intencionais e passíveis de questionamento. Pois bem. Os autores dos livros, ao apresentarem os pares gays e lésbicos, em todas as fotos, procuraram gente de boa aparência, bem vestidas e demonstrando felicidade. As crianças, em situação de segurança, passeando, brincando e alegres. Já com as famílias tradicionais, o mesmo cuidado não é percebido em todas as fotos. Tudo isto conta para formar a opinião da criança.


(livro 15, imagem 1a)


Esta é uma forma de conhecer e perceber o corpo de si e do outro. Para mapear o corpo, é necessária a ajuda do outro. É preciso passar o marcador rente ao corpo. Esta é uma técnica que ajuda a desinibir e perder o receio de aproximar-se e tocar no outro. Uma maneira também de naturalizar a atenção e o afeto mútuo. Meninos mapeiam meninas, e vice-versa, meninas mapeiam meninas e meninos, outros meninos.


(livro 10, imagem 7a)


(livro 4, imagem 1a)

(livro 12, imagem 1)


(livro 10, imagem 2a) 


(livro 7, imagem 1a)

(livros 8 e 11, imagem 2a)



(livro 13, imagem 1a)

(livro 18, imagem 2a)


(livro 18, imagem 3a)

(livro 1, imagem 1)


(livro 20, imagem 2)

(livro 19, imagem 1)

(livro 4, imagem 3a)

(livro 4, imagem 3b)


(livro 18, imagem 3a)


(livro 10, imagem 6)



(livro 1)


(livro 1, imagem 1)

(livro l, imagem 2)

(livro 1, imagem 3)

(livro 1, imagem 4)

(livro 2)

(livro 2, imagem 1)

(livro 2, imagem 2)


(livro 2, imagem 3)

(livro 2, imagem 4)

(livro 2, imagem 5)


(livro 3)

(livro 3, imagem 1)

(livro 4)

(livro 4, imagem 1)


(livro 4, imagem 2)

(livro 4, imagem 3)


(livro 5)

(livro 5, imagem 1)


(livro 6)





(livro 6, imagem 1)

(livro 7)

(livro 7, imagem 1)


(livro 8) 

(livro 8, imagem 1)

(livro 8, imagem 2)

(livro 8, imagem 3)

(livro 8, imagem 4)


(livro 9)



(livro 9, imagem 1)

(livro 9, imagem 2)


(livro 10)

(livro 10, imagem 1)

(livro 10, imagem 2)

(livro 10, imagem 3)

(livro 10, imagem 4)

(livro 10, imagem 5)


(livro 10, imagem 6)

(livro 10, imagem 7)


(livro 10, imagem 8)


(livro 11)



(livro 11, imagem 1)

(livro 11, imagem 2)

(livro 12)

(livro 12, imagem 1)

(livro 13)


(livro 13, imagem 1)



(livro 14)

(livro 14, imagem 1)

(livro 14, imagem 2)

(livro 15)


(livro 15, imagem 1)

(livro 16)

(livro 16, imagem 1)


(livro 16, imagem 2)

(livro 17)

(livro 17, imagem 1)

(livro 18)

(livro 18, imagem 2)


(livro 18, imagem 2)


(livro 18, imagem 2)

(livro 18, imagem 3)

(livro 18, imagem 3)


(livro 19)

(livro 19, imagem 1)


(livro 20)

(livro 20, imagem 1)

(livro 20, imagem 2)

(livro 20, imagem 3)


(livro 21)

(livro 21, imagem 1)

(Livro 22)


(Livro 22 imagem 1)



(Livo 22, imagem 2)



(Livro 23)
)
 (Livro 23, imagem 1)

(Livro 24)


(Livro 24, imagem 1)


(Livro 25, imagem 1)
















































71 comentários:

  1. Excelente informação e de duma relevância. É um absurdo querer tratar desses assuntos, de forma impositiva com crianças tão novas!

    ResponderExcluir
  2. Faz sentido. É preciso iniciar a lavagem cerebral desde cedo quiserem extinguir o instinto de reproduzir através da conjunção bisexuada para a preservação da espécie humana, que não sobreviveria a esse rítmo de crescimento da população mundial. A Terra não suportaria.

    ResponderExcluir
  3. isso ai é a cara o PT! um governo corrupto.Sem caráter. Isso é um absurdo. Falar sobre sexo com crianças tao pequenas.
    Eles querem realmente acabar com os princípios da família.

    ResponderExcluir
  4. só lembrando ! o que a terra não suporta é o pecado,meu consolo é JESUS ESTA VOLTANDO, mateus 18 nos apresenta as consequencias daquele que faz uma criança se perder, muito essa informação para estarmos combatendo essa imoralidade, eu vou fazer a minha parte, já combato um livro aqui no goias chamado caco é um lixo 064-8141-3803 tim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lá vem um tapado responder com religião. Religião e um câncer da humanidade, onde todos se acham possuidores da verdade absoluta.

      Excluir
  5. Prezado Prof. Orley Silva, até eu que estou calejado com a ideologia de esquerda nas escolas, inclusive a ideologia de gênero, confesso que fiquei estarrecido com esse abundante corpo de delito que você levantou. Não sei se lhe dou parabéns ou se dou meus pêsames ao que um dia foi um país. Vivemos a barbárie institucionalizada.

    ResponderExcluir
  6. Esses vagabundos gayzistas da esquerda só tem uma coisa na cabeça: sexo, pederastia e pedofilia, não desistem nunca, são obstinados pela imoralidade, todas as outras coisas importantes da vida não tem valor para eles. São todos doentes mentais, como bem classificou esse psiquiatra: http://tinyurl.com/pmo31mg

    ResponderExcluir
  7. Quando lembro que minha filha já teve vários desses livros sinto um frio na espinha, pois foram atualizados pelas editoras e muitas escolas não são criteriosas na seleção do material.

    ResponderExcluir
  8. Estamos vivendo tempos difíceis MESMO. Também relevante é este vídeo https://youtu.be/hBqfRcujBCk

    ResponderExcluir
  9. Muito relevante e obrigada por nos munir com estes dados para podermos lutar no meio onde atuamos. Também relevante é este vídeo que não podemos ignorar: https://youtu.be/hBqfRcujBCk

    ResponderExcluir
  10. Na palavra de Deus diz que para nos libertamos de tamanha opressão é lendo a sua palavra, que é a verdade de Deus. Tudo isso é sinônimo de que o maligno vem de todas as formas "desfigurar" o que Deus nos deixou, (ele só veio para matar, roubar e destruir) Família é composta por homem e mulher, casados e filhos. Não existe justificativa cabível para que uma criança compreenda tal absurdo. Nós como pais e futuros pais é cuidar da educação dos nossos filhos em casa. Porque a escola não foi feita para educar, obrigação dos pais. E sim de ensina-los para o futuro. Que sejam cidadãos de respeito. A paz para todos. Ótima publicação Orley Silva.

    ResponderExcluir
  11. E um absurdo falar desses assuntos com crianças de 6 anos ,a lavagem cerebral tem que começar desde de cedo né ? Governo maldito , ensinando crianças inocentes a seguir caminhos que não são certos !
    Existe homossexuais? Sim claro que existe ,mais não é por causa disso que vamos ensinar nossas crianças a serem tbm ,devemos respeitar as pessoas que decidiram caminhar nessa direção mais não induzir as crianças a fazer o msm !
    Lamentável !

    ResponderExcluir
  12. Professor, o que eu faço? Sou mãe de uma pré-escolar e dois prímários. O que posso fazer para proteger meus filhos da escola? Meu marido não aceita nem conversar sobre a possibilidade do homescholing... Meu Deus, guarde nossas crianças!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verônica, sendo uma mãe presente na vida escolar do filho. Preocupando-se com os materiais didáticos e paradidáticos que ele estuda... Acompanhe a execução das tarefas e exercícios para casa... Conheça os professores, a linha de pensamento deles e a forma que eles trabalham em sala de aula é também muito importante. Converse sempre que necessário com os coordenadores e professores sobre a educação do seu filho. Deixe claro para eles os seus valores morais e a sua exigência de que esses princípios não sejam alterados pela escola. Lembre-se que a escola deve respeitar os valores éticos, morais e religiosos trazidos de casa pelo aluno. Acima de tudo, é direito dos pais o protagonismo na educação moral dos filhos. Tudo de bom para você, seus filhos e esposo.

      Excluir
  13. Agradeço pelo artigo completo e detalhado. Tive o desprazer de ver outras cartilhas com ilustrações terríveis de cunho sexual, também destinadas ao público escolar. Sei que não devemos ficar inertes diante disso, mas sinceramente, não sei o que posso fazer, além de orar pelo direcionamento divino.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você poderia scannear e mandar pra mim? Por favor!! nakell24@gmail.com

      Excluir
  14. A BÍBLIA diz Mas qualquer que escandalizar um destes pequeninos, que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma mó de azenha, e se submergisse na profundeza do mar.

    ResponderExcluir
  15. - Meus amigos e minhas amigas, a ideologia de gênero ensinando crianças de 6 anos a 10 anos, a ter relações sexuais, se masturbar, conhecer sobre poligamia, bigamia, homossexualismo, bissexualismo, como usar camisinha, sexo com animais e outras aberrações sem sentido, pois a criança ainda não atingiu a puberdade e deveria manter-se como criança e brincar e se divertir como criança, está sendo sexualizada, está sendo estuprada psicologicamente e fisicamente, e se tentamos publicar este assunto que está na imprensa nacional, sobre os livros indicados pelo MEC em 2016, estão sendo barrados no FACEBOOK, fica só na tela e não mostra no post aos amigos e amigas, há uma agenda que será sistematicamente colocada para que os filhos odeiem sua família, traiam seu pai e sua mãe e corrompam a sociedade, para alcançarem a destruição da família, da religião e da economia familiar, que está em marcha e começam atingindo nas crianças onde mais dói, é contrário ao plano nacional de educação, e foi retirado dos planos estaduais e municipais de educação, mas a agenda financiada por entidades internacionais está em pleno vapor e funcionado, pois os livros indicados pelo MEC, estão recheados desta pornografia ideológica, levando nossas crianças a apreenderem que sexo anal, oral, genital, coito com pessoas do mesmo sexo, e coito com animais, é normal, é saudável, é bonito e que os pais e mães são retrógrados, fascistas, dominadores, castradores e devem ser ignorados e odiados pelos que mais amamos que são nossas crianças! Vamos à luta contra isso, levantemo-nos e gritemos aos nossos vereadores, deputados estaduais, deputados federais, senadores, contra esta barbárie intelectual monstruosa que estão nos livros que irão ensinar nossos filhos e filhas a lutarem pelo mal e contra sua família nessa
    depravação de seus corpos e de suas mentes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda tem esses livros??? Poderia fotografar, ou scannear e enviar? Por favor! nakell24@gmail.com

      Excluir
  16. olha este vídeo e veja o que este tipo de material esta preparando o terreno
    https://www.youtube.com/watch?v=VC_nxrSqO5Y

    ResponderExcluir
  17. DIANTE DISTO, COMO NÃO DEVEMOS FALAR SOBRE CAMISINHA E MÉTODOS CONTRACEPTIVOS? ENTÃO, DEVEMOS DEIXAR COMO ESTÁ E PERMITIR QUE NOSSAS CRIANÇAS SE TORNEM ADULTOS INTOLERANTES E MÃES PRECOCES??

    Em 2013, a Organização Mundial de Saúde e a ONU lançaram um relatório sobre gravidez na adolescência. Ao todo são 7,3 milhões de adolescentes grávidas. Entre elas, dois milhões têm menos de 15 anos. A previsão é de que, se nada for feito nos próximos anos, esse número salte para três milhões em 2030.

    No Brasil, em 2011, 25 mil meninas entre 10 e 14 anos deram à luz, e 440 mil jovens entre 15 e 19 anos tiveram gestações não planejadas. Além disso, 21,5% dos partos no país são feitos em mulheres com menos de 20 anos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até concordo com vc. Os números não mentem. Mas estamos falando de crianças de 6 anos que nem sabe o que é gênero. Se essas informações forem passadas apartir dis 12anos e com professores preparados com uma orientação adequada. Concordo. Mas assim de forma in responsável. NÃO.

      Excluir
    2. Até concordo com vc. Os números não mentem. Mas estamos falando de crianças de 6 anos que nem sabe o que é gênero. Se essas informações forem passadas apartir dis 12anos e com professores preparados com uma orientação adequada. Concordo. Mas assim de forma in responsável. NÃO.

      Excluir
    3. Minha querida, vc tem certeza de que esse conteúdo será trabalhado com crianças de 06 anos ?

      Excluir
    4. Por que não ensinam a castidade?
      "Aah, mas é coisa do passado! ",
      Muitos dirão.
      Pode até ser, mas ao menos não haveria gravidez fora de hora, sem um pai pra ajudar.
      A modernidade trouxe promiscuidade, doenças sexualmente transmissíveis em adolescentes e jovens, e gravidez sem nenhum planejamento ou maturidade.
      Qual a "bela ç" solução do governo? Fácil, fácil: aborto!
      Isso! O governo incentiva a "festança", depois trás a solução.
      Pura degradação moral! Ninguém respeita ninguém!
      Relacionamentos descartáveis!
      Infelizmente, a nossa realidade

      Excluir
  18. Primeiramente, queria deixar claro que introduzir orientação sexual e falar sobre DSTs e tudo mais para crianças (que deveriam apenas brincar e viver sem pensar no dia de amanhã) é errado e nada construtivo. No entanto, eu fico extremamente receoso e constrangido com matérias como essas. Uma vez que, o autor "esquece" ou propositadamente não coloca dados que comprovem dados cruciais para sua argumentação, como links das "pesquisas" que dizem que a população é contra tudo isso e que a maioria dos parlamentares também são contra.

    Outro motivo que me deixa preocupado em relação a texto sensacionalista é o link das imagens dos possíveis livros que serão utilizados (e no meu ponto de vista as imagens #dos livros didáticos# não são muito ofensivas às crianças, uma vez que elas apenas as ensinam a respeitar o próximo pela sua diversidade. Porém, o que me deixou mais chocado foi a utilização de uma campanha do Governo Federal e do SUS para a utilização de camisinha no CARNAVAL como forma de manipular o leitor.

    Deixo aqui o texto que foi escrito logo abaixo da campanha de CARNAVAL: "O MEC considera que alunos com 10 anos de idade já estão em atividade sexual para apresentar-lhes métodos anticonceptivos? Ele acha que alunos com 10 anos de idade já frequentam baladas e se relacionam sexualmente com qualquer pessoa? Essa criança pode dirigir-se à unidade de saúde e requisitar uma camisinha? Os funcionários da unidade de saúde também concordam em fornecer esse tipo de material para crianças de 10 anos? Esses infantis precisam fazer testes de aids, sífilis e hepatites virais, provavelmente adquiridos em relações sexuais? Mas este cartaz é direcionado justamente para as crianças dessa idade!"

    Só mais um esclarecimento para os mente obtusas: EU NÃO SOU PETISTA!!!! Inclusive odeio o Lula e rezo todos os dias para ele ser preso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ABSURDO, MEU DEUS JESUS REALMENTE ESTA VOLTANDO HA QUALQUER MOMENTO. OLHA QUEREREM COLOCAR UMA INFORMACAO DESSA NA CABECAS DE NOSSOS FILHOS, FILHOS DE NOSSOS VIZINHOS E FILHOS DE NOSSA PARENTE LA UM ABSURDO. ESPERO QUE A POPULACAO QUE VOTOU NESSE PARTIDO PENSE A BESTEIRA QUE FIZERAM.

      Excluir
  19. Um verdadeiro absurdo tudo isso. Não consigo acreditar que uma pessoa que se diz professor consegue escrever tanta besteira. Querem tirar a infância e a inocência de nossos pequenos. Mas eu quanto mãe jamais aceitarei e lutarei com todas as minhas forças para que isso não ocorra. Quero ver quando a mão de DEUS pesar sobre estas pessoas que estão tentando desviar nossas crianças. Pois A BÍBLIA DIZ: AI DAQUELE QUE DEIXAR MEUS PEQUENOS TROPEÇAREM. MATHEUS 18. CUIDADO VOCÊS ESTÃO AFRONTANDO DEUS. LEIAM MATHEUS 18 VALE A PENA. BANDO DE HIPÓCRITAS, INDECENTES.

    ResponderExcluir
  20. Isso é o cumulo do absurdo, cadê os direitos das crianças e dos adolescentes, será que querem que as craças se masturbem, se toquem e achar que é normal, que teve essa diabolica ideia, é um criminozo. Parem, de provocar JESUS CRISTO, chega de abuso, procurem se apximar de DEUS.

    ResponderExcluir
  21. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  22. REVOLTANTE E ABSURDO O QUE QUEREM FAZER COM NOSSAS CRIANCAS, GENTE ACORDA PELO AMOR DE DEUS E VAMOS PRA RUA FAZER MANIFESTAÇÃO E ABAIXO ASSINADO PARA ISSO NAO VIRAR LEI. TEMOS QUE FAZER ALGUMA COISA.

    NAO VAMOS FICAR CALADOS E NEM DE BOCA FECHADA. ACORDA BRASIL!!!!!

    ResponderExcluir
  23. Somente Deus para por um basta neste homens governamentais, e mec usados para um plano diabolico,destruindo as famílias que Deus instituiu.Temos que clamar para que Deus de um basta,não podemos ficar calados

    ResponderExcluir
  24. O mais interessante é que vocês nem se preocuparam em trocar as imagens de uma editora para a outra.Vamos procurar saber minha gente em sites governamentais,acompanhando seus deputados,os tramites das leis.

    ResponderExcluir
  25. Gente e ridículo, acho q eles podiam falar sobre o preconceito, mas até aí fazer com que crianças aprendam dessa forma e ridículo, nosso governo está trabalhando muito, mas com certeza não e para melhorar a situação de nosso país. Não vejo um motivo de claro para ter esse tipo de aula. Acho que temos tantas coisas para se preocupar e vem uns tentando tirar nosso foco de tudo q está acontecendo em nosso país arrumando algo a mais para nos preocupar. Eles deveriam se preocupar em dar melhor educação, nosso professores não conseguem nem dar aula direito em algumas escolas diante de tanta falta de estrutura e me aparece essa. Eu não quero meus filhos assistindo a essa matéria é uma coisa q ele não precisa tratar nessa idade e ponto.

    ResponderExcluir
  26. ABSURDO, NOJENTO, HORRENDO, PODRIDÃO PURA... DEUS É MAIS...DE OLHO NESSES LIVROS E ESCOLAS.

    ResponderExcluir
  27. MAIS UM MONTE DE ARGUMENTOS PARa SAIR AS RUAS NO PROXIMO DIA 13 DE MARÇO EM TODO BRASIL. QUEREM DOUTRINAR AS CRIANCAS DESDE 5 Ou 6 anos dirigindo suas mentes segundo seus planos maléficos para ficarem praxsempre reinando no país e explorando o povo.

    ResponderExcluir
  28. Caro Sr. Orley,

    O senhor pode me informar por obséquio onde eu localizo no site do MEC, ou em outra publicação do Governo Federal, os livros recomendados pelo Programa Nacional do Livro Didático/2016, do Ministério da Educação? Refiro-me aos livros comentados acima pelo senhor.

    Solicito, também, se não for pedir muito, enviar a informação para o meu email "sao@supercabo.com.br". Se não for possível, basta publicar aqui mesmo que posteriormente eu verificarei.

    Agradeço antecipadamente pela sua atenção.

    Saulo Alves de Oliveira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saulo, a lista completa deste lote de livros PNLD 2016 está neste link: http://www.fnde.gov.br/programas/livro-didatico/guias-do-pnld/guia-pnld-2016

      Excluir
  29. - Misturar o direito sagrado das mulheres com o suposto direito de homossexuais, travestis, lésbicas, e trangêneros é o mesmo que dizer que homem não é homem e mulher não é mulher e que o jacaré não é um bicho! Você sair do armário e querer colocar outros lá não é justo e nem correto em lugar nenhum, se eu tenho um problema de foro íntimo eu não posso colocar para os outros carregarem meus problemas, tenho de resolver eles lá onde estão no foro íntimo, e não fazer com que todo mundo se torne parte do meu problema pessoal! Se todo mundo tiver que ser cegado para incluir o cego, isto é uma violência contra o próximo que enxerga, se eu tiver que aleijar todo mundo para incluir o aleijado e que ele não sofra discriminação, isto é uma violência insensata, você criar condições de igualdade, não significa que você deve mudar toda a sociedade e todas as pessoas, em suas convicções, em sua religião, em suas filosofias ou o que quer que seja, vamos nos limitar a sermos iguais, e não melhores e mais livres que a liberdade! O que querem é doutrinar a sociedade à sua forma imoral de vida e de pensamento, pois a moralidade é criada pelo tempo e pela própria vida, que cada um seja livre para viver como quiser sem com isso mudar a vida dos outros, ou píor querem sujeitar o outro a ser como uma minoria, isto é uma violência contra os direitos humanos, afinal qual é o tipo de humano que tem mais direito? O tradicionalista, o matriarcalista, o libertarista, o comunista, o socialista, o democrata, o gay, o evangélico, o católico, o umbandista, o hinduísta, o budista, qual me digam? Afinal isto não é diversidade, cada macaco no seu galho e todos livres na floresta da vida?

    ResponderExcluir
  30. Antes de falarem e julgarem, principalmente mães e pais, vão até a escola de seus filhos e verifiquem qual livro didático foi escolhido pela escola! Não é como está escrito acima, nada desses livros didáticos aprofunda nos assuntos e os que trabalham sexualidade e métodos contraceptivos são de quinto ano, alunos de dez e onze anos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mesmo assim, 10, 11 anos ainda é criança, se eu ver um livro desse na mão do meu filho de 10 anos rasgo ele na diretoria da escola! toma vergonha comunista sem caráter!

      Excluir
    2. não; as crianças terão de 9 pra 10 anos; os pais tem que ter o protagonismo na questão de educação sexual e moral, professores devem ser professores, quem educa são os pais;

      Excluir
  31. Como é que as pessoas aceita como verdade qualquer coisa que um desconhecido escreve??? Seria esta a educação dada em casa aos filhos? Que eu me lembre, minha mãe dizia "filho, não confie em estranhos!!!" Aí vem um estranho, escreve um monte de besteira, não coloca UM TÍTULO DE LIVRO SEQUER, não nomeia fontes, mistura imagens de carnaval com livros FUNDAMENTAL, onde as crianças têm, no mínimo, 10 anos, e um bando de gado clama a Deus por justiça sem sequer ter certeza do que foi escrito!!! Sim, é o fim do mundo realmente, as pessoas acreditam em qualquer idiotice que um estranho escreve, apenas porque o cara curte uma religião...
    Vou falar uma coisa à vocês: Até hoje, nunca vi um ateu cometer tamanhas barbaridades que muitas e muitas pessoas, em nome de algum Deus (ou deuses) cometem...

    ResponderExcluir
  32. Minha filha não transa com 6 anos de idade para aprender como se prevenir!
    Eles acham que os pais não são capazes de ensinar seus filhos sobre tudo no momento certo? Um absurdo.

    ResponderExcluir
  33. Minha filha não transa com 6 anos de idade para aprender como se prevenir!
    Eles acham que os pais não são capazes de ensinar seus filhos sobre tudo no momento certo? Um absurdo.

    ResponderExcluir
  34. Eles pensam que estão ensinando, ao contrário eles estão encentivando as criança, elas vão dizer já posso fazer sexo com 6 a 10 anos de idade mostrando tudo e ensinando eles vão se achar porque são criscas ,onde já se viu um absurdo.....

    ResponderExcluir
  35. Ivan Marinho Cerqueira4 de março de 2016 07:42

    Tem que ter alguém para dar um basta nisso, não se pode deixar, que crianças ache que tudo é normal. Peço a Secretária da Educação, que deixe que os pais dei a orientação sexual aos seus filhos e que não crie confusão na cabeça de nossa crianças. Acredito que a finalidade da escola é ensinar a ler e a escrever o resto deixe com a família.

    ResponderExcluir
  36. Ivan Marinho Cerqueira4 de março de 2016 08:03

    Acho que chegou a vez de nos mobilizar, para dar um basta nesta indecência que o governo está fazendo a todo o povo brasileiro. Não se pode induzir as crianças a este tipo de aberração. A finalidade da Secretária da Educação é ensinar as crianças a ler e escrever e ser ético, não manipular crianças a esse absurdo de educação sexual aonde so vai fazer a chegarem a caminhos delituoso e pecaminoso .

    ResponderExcluir
  37. É realmente muito errado ensinar sobre preservativos nesses livros destinados a crianças de tão pouca idade. No entanto, não vejo problema em mostrar que existem diferentes tipos de família, é importante pra desconstruir o preconceito. Afinal de contas, família é onde há amor independente da orientação sexual dos pais.

    ResponderExcluir
  38. Será que não está na hora do povo brasileiro começar a mostrar o que quer de verdade, indo as ruas não somente para brigar por que o passe de onibus aumentou ou por politica, devemos ir a rua para exigir dignidade, respeito e honrar a camisa de ser brasileiro. Tenho dois filhos ( 5 e 12 anos) e estão orientados a rejeitar qualquer tipo de orientação voltada ao tema sexo na escola, o que precisam aprender vão aprender em casa, minha esposa e eu temos todas as condições de ensina-los na hora certa. Não quero crianças precocemente sexuais em casa, mas sim, crianças que brincam, correm, leiam historias com final feliz, assistam filmes e desenho infantis até quando quiserem.
    Pais vamos tomar uma atitude, rebelem-se contra essa atrocidade do MEC. Estou como anonimo para preservar meus filhos....mas se for para ir as ruas vou de cara limpa.

    ResponderExcluir
  39. Concordo plenamente!

    ResponderExcluir
  40. Desculpe-me a ignorância, mas o fato de um livro didático apresentar certa informação não significa que ele será tratado da mesma forma.
    Há de se apresentar informações sobre questões de sexualidade, de conceito de família, de métodos contraceptivos e etc.
    A formação democrática e dialogica é imprescindível, bem como o bom senso e a capacidade de refletir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tratar de sexualidade e métodos contraceptivos com crianças de 6 a 10 anos é normal? Para que uma criança precisa dessas "informações"?

      Excluir
    2. Dificil achar opiniões que nem a sua!!! Concordo contigo!!! O maior absurdo mesmo é gente achar que isso é acabar com a família tradicional, como se família entre pessoas do mesmo sexo fosse algo errado!!!!

      Excluir
  41. http://www.fnde.gov.br/programas/livro-didatico/guias-do-pnld/guia-pnld-2016

    ResponderExcluir
  42. - Não importa se a Marta Suplicy atualmente esta no PMDB ela começou apoiado o movimento feminista, tanto que eu na 7 º serie tinha uma de 15 minutos sobre a temática do sexo.
    - Isso já em uma sala de adolescentes, na minha sala tinha ate Evangélicos ficamos super constrangidos e mesmo assim a Professora era obrigado a dar aquela aula, sendo assim o povo deve sempre lembrar que começou com tudo isso, mesmo que mude de lado.

    ResponderExcluir
  43. Elinaldo Renovato de Lima3 de agosto de 2016 14:47

    É O PIOR ATAQUE À FAMÍLIA E AOS VALORES CONSAGRADOS PELA SOCIEDADE BRASILEIRA. UMA VIOLÊNCIA CONTRA OS PRINCÍPIOS CRISTÃOS. MERECE TODO O REPÚDIO E PROTESTO DOS QUE AMAM A FAMÍLIA.

    ResponderExcluir
  44. parecem que alguns aqui que dizem que essas denuncias não possuem fonte não entrou nos links que foram disponibilizados; de olho no livro didático; lá tem as fotos dos livros e das páginas; é verdade que os municípios não aprovaram a ideologia de gêneros pras crianças; então porque o MEC pestista desobedeceu as leis e inseriu esse material de gêneros nos livros didáticos? quem aqui confia na boa intenção desses esquerdistas? eu sou apta sim para educar meu filho, o governo não; cada família tem sua moral, quero ter o protagonismo de educar meu filho; e alem do mais os professores não dizem para os pais e não explicitam os conteúdos; como os pais vão saber e assim ter o direito de dizer não? há quem pense que só tem acontecido nas redes públicas e por isso não se preocupam, mal sabem eles que o MEC simplesmente instituiu esse conteúdo para todos os livros didáticos com raras exceções pra escolas que usam apostilas. fui em algumas livrarias e peguei as listas de livros utilizados e descobri que tanto rede publica quanto a rede particular utiliza os mesmo livros, e todas as editoras tiveram que se adaptar e quem não seguiu a agenda simplesmente não teve seu material didático aprovado pelo PNLD.

    ResponderExcluir
  45. Casamento vem de casal, e um casal é quando existe um macho e uma fêmea. Não existe como alguém formar um casal usando dois machos, ou usando duas fêmeas, isso apenas formam duplas. Em resumo; é errado dizer que existe casamento entre homossexuais, o que pode existir é uma união, porquanto casamento só existe quando há um macho e uma fêmea, como um gato com uma gata, um cachorro com uma cachorra, um leão com uma leoa, um homem com uma mulher. Lembrando que até no reino vegetal, existe macho e fêmea!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Editora SoLuz, tanto existe que estão aí, debaixo do nosso nariz, as muitas famílias de pessoas do mesmo sexo. Não esqueça que centenas de casais, compostos de homem e mulher, optam por não ter filhos. Portanto, casamento não é, apenas, para gerar filhos. Lembrando que, na natureza, existem os hermafroditas, sim, senhor!

      Excluir
  46. Acho bom! Tem que ter cada vez mais discussão sobre diversidade na escola. Tomara que o Deus de vocês volte mesmo para deixar pingos no is e aí vocês vão ver quem ele vai defender.

    ResponderExcluir
  47. E preciso agir. A lei e o direito estão a nosso favor. Mas devemos lembrar que, o que tenho de fazer, Deus não fará por mim. Precisamo nos unir, fazer uma revolução didática-legal-pedagógica. Ações devem ser proposta contra essas autoridade corrupta pois pior que roubar o erário, é roubar a inocência e a infância de nossas crianças. Vamos apoiar essa turma. Se vc concorda em participar desta luta, envie um e-mail para mim advogbsbdf@gmail.com

    ResponderExcluir
  48. "O artigo 226 da Constituição é ignorado completamente pelo material didático para falar da formação de família"

    MENTIRA. O que acontece realmente é que alguns desejam perseguir e condenar famílias que não sejam de acordo com seus ideais. Esses são os verdadeiros anti-famílias, não as famílias diferentes, perseguidas por fundamentalismo religioso, ou quem tenta promover melhor esclarecimento, diminuir a ignorância e a perseguição que sofrem.

    ResponderExcluir
  49. Se todo o povo racional, independente de religião, que crêem no ser superior que fez as coisas certinhas, macho e fêmea como forma de procriação e multiplicação, não sair pra rua e brigar por esta verdade, vamos ter em uma época muito próxima e muito próximo de nossos lares, um mundo além da corrupção que já está generalizada, uma deturpação imoral e irracional de vida comunitária que só o final dos tempos poderá concertar.

    ResponderExcluir
  50. Ótimos livros. Obrigado por postar. Na minha época não tinhamos acesso a conteúdos tão esclarecedores. Vou pesquisar todos, acho muito importante tratar desses assuntos. Da minha época para cá evoluiu muito, meus pais não me deixavam assistir aulas que falassem de camisinha por exemplo. As crianças de hoje certamente serão mais desenvolvidas do que nós. Vou repassar as dicas! :)

    ResponderExcluir
  51. Isso tudo faz parte da AGENDA GLOBAL DA NOVA ORDEM MUNDIAL MAÇÔNICA. Quem não entende isso não sabe nada e vai ficar brigando com os galhos...

    ResponderExcluir

  52. Das profundezas das trevas este ser execrável deve tá aplaudindo a massa de manobra.
    O "DECÁLOGO", escrito por LÊNIN em 1913.

    1.. Corrompa a juventude e dê-lhe liberdade sexual;

    2.. Infiltre e depois controle todos os veículos de comunicação de massa;

    3.. Divida a população em grupos antagônicos, incitando-os a discussões sobre assuntos sociais;

    4.. Destrua a confiança do povo em seus líderes;


    5.. Fale sempre sobre Democracia e em Estado de Direito, mas, tão logo haja oportunidade, assuma o Poder sem nenhum escrúpulo;

    6.. Colabore para o esbanjamento do dinheiro público; coloque em descrédito a imagem do País, especialmente no exterior e provoque o pânico e o desassossego na população por meio da Inflação;

    7.. Promova greves, mesmo ilegais, nas indústrias vitais do País;

    8.. Promova distúrbios e contribua para que as autoridades constituídas não as coíbam;

    9.. Contribua para a derrocada dos valores morais, da honestidade e da crença nas promessas dos governantes. Nossos parlamentares infiltrados nos partidos democráticos devem acusar os não-comunistas, obrigando-os, sem pena de expô-los ao ridículo, a votar somente no que for de interesse da causa socialista;

    10.. Procure catalogar todos aqueles que possuam armas de fogo, para que elas sejam confiscadas no momento oportuno, tornando impossível qualquer resistência à causa...

    ResponderExcluir
  53. Bom dia. Excelente artigo..teria como disponibiliza-lo para download?

    ResponderExcluir