domingo, 15 de maio de 2016

O mundo físico e espiritual dos orixás: uma literatura do MEC para alunos da escola pública




O livro paradidático "Orixás: do orum ao ayê", da editora Marco Zero, do Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE/2013) do Ministério da Educação (MEC) compõe bibliotecas de escolas públicas de todo o país. 

Este é um material literário que serve para aprofundar o estudo de aspectos doutrinários da religiosidade afro-brasileira de maneira a complementar o livro didático. 

A obra apresenta uma visão da religiosidade afro-brasileira para a criação do mundo físico (Ayê) e a morada dos deuses (Orum). O relato guarda muita similaridade com a narrativa bíblica da criação. 

Esta estratégia de aproximar as duas narrativas sobre a criação pode ser eficiente para fazer com que pessoas de formação cristã, principalmente crianças e adolescentes, assimilem com mais facilidade os elementos de religiões o Candomblé e a Umbanda. 

O livro foi distribuído às bibliotecas de escolas públicas escorado no pretexto de estudar a cultura afro brasileira, em cumprimento a Lei 10.639/03 que torna obrigatório o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana no Brasil. 

Discute-se nos meios acadêmicos sobre o papel da religião no ensino da cultura, sem que fira os princípios do estado laico.

Em vista do exposto, defensores da educação laica questionam a clara intenção proselitista de obras literárias como esta. 

Orley José da Silva, mestre em letras e linguística (UFG) e mestrando em estudos teológicos (SPRBC)

Publicações que se relacionam com este artigo:

Contos macabros de magia negra

Evocação de espíritos

Modelo de notificação extrajudicial desenvolvido pelo Procurador da República Guilherme Schelb. Para os pais notificarem escolas e professores sobre conteúdos que eles não permitem aos filhos.

Cidades que rejeitam ideologia de gênero

Livros didáticos/2016 do MEC com ideologia de gênero


















11 comentários:

  1. Moro em uma cidade no interior de Goiás e esses dias encontrei esse livro escondido no meio das coisas do meu sobrinho que disse que uma professora indiciou para ele ler, dei uma olhada no livro e ele conta uma história que distorce totalmente a Bíblia, conversamos com ele e pedimos para devolver. Sorrateiramente o inimigo tem tentado entrar em nossas casas e distorcer tudo o que temos ensinado para nossas crianças. Precisamos abrir nossos olhos e tomar uma atitude antes que seja tarde!!!

    ResponderExcluir
  2. Tive a oportunidade de conhecer este livro há dois anos.Ele é maravilhoso!Sou professor de História e ele ajudou na concepção dos alunos em entender a representação religiosa de uma cultura diferente da cristã.Defendo este livro.Ele não é coisa do Inimigo,não distorce a Bíblia, como foi dito em outro comentário,mas apresenta a crença das religiões africanas, e isto é importante no aprendizado da formação étnica do Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom senso na Internet... já estava na hora... parabéns, professor!!

      Excluir
  3. Mas, que importancia tem uma seita irrelevante na formação da civilização ocidental? Isto é simplesmente irrelevante. Acho que religiosidade. valores morais e sexualidade devem ser apresentados e reforçados pelos pais e avós. Fora da família é colonização ou doutrinação ou engenharia social, enfim lixo por desviar os jovens da busca da VERDADE

    ResponderExcluir
  4. Muito bom o livro. Obrigado pela dica, vou passar para meus alunos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pena meu filho não ser seu aluno.

      Excluir
    2. Ensino da religião é papel da família,não de professores na escola.

      Excluir
  5. Olá Prof. Orley!

    Gostaria de agradecer pela disponibilização do material!
    Utilizei nas minhas aulas de História da Áfríca, conteúdo obrigatório desde 2003.
    Meus alunos adoraram e o material suscitou uma boa discussão sobre a essências dos mitos criacionistas em diferentes culturas.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Adversidade espiritual é beneficio para um mundo em que as diferenças não existam mais o amor vença independente da religição

    ResponderExcluir
  7. Acho muito bom esta diversidade de credo e religião no brasil,
    torço para a intransigência perca e o amor vença
    Abraços

    ResponderExcluir