Pular para o conteúdo principal

Livro do MEC de ciências humanas e da natureza/2016 apresenta a família de acordo com a Ideologia de Gênero


Este livro que deverá chegar às escolas do país em 2016 apresenta a família de acordo com a Ideologia de Gênero, contrariando o Plano Nacional de Educação (PNE) e também boa parte dos planos estaduais e municipais que optaram pela exclusão do ensino dessa ideologia.

Essa ocorrência está tanto na parte destinada ao estudo do aluno, nas indicações de leitura e também na parte de subsidio pedagógico ao professor.

O público alvo deste livro recomentado pelo Ministério da Educação (MEC) constitui-se de crianças com 6 ou 7 anos, em fase de alfabetização.

Professores, escolas e secretarias de educação estão, neste momento,  em fase de escolha dos livros para o próximo ano letivo. Portanto, pais e professores devem ficar atentos para que não haja retrocesso no cumprimento dessa meta do PNE.

















Comentários

  1. Detalhe: a família tradicional esta triste e a criança toda machucada. Todas as outras fotos trazem pessoas sorridentes.

    Isso é para ir disseminando a ideia de que o modelo de família cristã não é tão bom como os outros.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, é mesmo. E além disso, a iluminação da foto está diferente, uma foto mais escura, meio apagada e sem graça.
    Que absurdo!

    ResponderExcluir
  3. Também notei que a família tradicional todos estão tristes. É como uma mensagem subliminar. Lavagem cerebral. Temos que ficar atentos!

    ResponderExcluir
  4. Vcs deveriam ler o edital do PNLD e entender que nenhuma criança deve se sentir diferente na sala de aula. Minha família, por muito tempo, foi a minha avó e o meu irmão e acho uma pena não ter tido um livro como esse.
    A neurose de vcs exclui e ignora crianças.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. discordo, lembro quando eu era criança, num dia das mães fizemos sabonetes escrito Mamãe, e um colega escreveu Vovó, todo mundo achou normal, ngm o excluiu por causa disso

      Excluir
  5. Isso é a pátria Educadora Como uma vergonha para todos os brasileiros

    ResponderExcluir
  6. Gostaria de questionar o porque que os livros não trazem as famílias formadas por PAI E FILHO(A).
    A ideologia de gênero considera, assim como a cultura tradicional, que filhos devem ser criados só pelas mulheres?

    ResponderExcluir
  7. Observe que na familia pai,mãe e filho, os pais estão carrancudos e a criança machucada.É intencional!

    ResponderExcluir
  8. Você poida colocar as palavras chaves para todos acharem pelo Google:
    Juntos Nessa. Leya. Ciências humanas e da Natureza. Charles Chiba. Caroline Minorelli. Valquiria Garcia. Vanessa Michelan

    ResponderExcluir
  9. O certo é que as coisas tem gêneros, o ser humano têm sexos. Ex: dizemos, a cadeira, o balde (cadeira-gênero feminino e balde-gênero masculino)... a menina, o menino ( menina-sexo feminino e menino-sexo masculino) simples assim. As pessoas fazem suas escolhas, mas nem por isso deixam de ser o que nasceram: homem ou mulher... É a minha humilde opinião...

    ResponderExcluir
  10. boa noite gostaria de baixa esse livro como faço

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Quando a família do aluno processa a escola por danos morais

Conheça dois modelos de "notificação extrajudicial" que poderão ser usados no relacionamento entre a família e a escola, no sentido de proteger o aluno especialmente contra a doutrinação política, partidária e de gênero.




O Procurador da República Guilherme Schelb desenvolveu um modelo de "notificação extrajudicial" para que pais e/ou responsáveis protejam os filhos contra o ensino da Ideologia de Gênero pelas escolas. Por este simples documento, escolas e professores são notificados pelas famílias de processá-los por danos morais pelo ensino dessa ideologia que visa, através da educação, promover uma revolução sexual e familiar. Isto a partir das crianças e adolescentes.
Caso professores e escolas se recusem a assinar o documento, há duas atitudes que os pais e/ou responsáveis poderão tomar para que o documento tenha validade jurídica. A primeira, é dirigirem-se ao Cartório de Registro de Títulos e Documentos com o nome e endereço da escola, para que a escola seja c…

ONG feminista "Católicas pelo direito de dedicir" em livro didático do MEC para 2020

Esta é a quarta de quatorze postagens que este blog apresenta sobre alguns temas abordados pelos livros didáticos recomendados pelo MEC (PNLD/2020) para os anos finais do Ensino Fundamental  (6º ao 9º ano), com validade de quatro anos: 2020 à 2023. 
Leia antes as três postagens anteriores ( a 1ª , a 2ª  e a 3ª. )

O movimento feminista nos livros didáticos de 2020
Trata-se da primeira remessa de livros em conformidade com a versão homologada (dez/2017) da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para a Educação Infantil e o Ensino Fundamental, crianças de 0 a 14 anos. 



O objetivo desta postagem é mostrar a presença da ONG feminista Católicas pelo Direito de Decidir no currículo dos anos finais do Ensino Fundamental, em páginas de um livro de Língua Inglesa   do PNLD/2020.

É de conhecimento público que esta ONG não conta com o apoio oficial da Igreja Católica Romana. Composta por um grupo minoritário de autodeclarados católicos, tem como pauta principal a defesa do aborto.

No entanto, no seio da…

Engajamento político e militância no livro didático do MEC de 2020

O livro didático de 2020 amplifica e normaliza em sala de aula as discussões políticas e ideológicas. Mas vai além: com a alegação de despertar no aluno a consciência crítica, incentiva-o a engajar-se em movimentos sociais, lutas políticas e de classe. 





Com a atitude de fundamentar a crítica política e social em sala de aula infanto-adolescente, em conformidade com a Teoria Crítica, o PNLD/2020 dificulta iniciativas contestatórias da sociedade civil, a exemplo das associações de pais e do Escola Sem Partido. 




É importante observar a intencionalidade do jogo semiótico e semântico presente na construção dos capítulos dos livros. 
Não é aleatória a escolha de bandeiras, símbolos, cores, gestualidades das pessoas,  imagens e passeatas que se identificam com cenários de manifestações públicas organizadas pela esquerda política brasileira e internacional.
Também não é sem propósito ideológico a seleção de termos e palavras encontrados nos livros didáticos: militância, ativismo, cidadão crítico,…

Fake news no livro didático do MEC para 2020

Esta é a segunda de quatorze postagens que este blog apresenta sobre alguns temas abordados pelos livros didáticos recomendados pelo MEC (PNLD/2020) para os anos finais do Ensino Fundamental  (6º ao 9º ano), com validade de quatro anos: 2020 à 2023. 


Leia: Editais de materiais didáticos que se se estendem até 2023

Trata-se da primeira remessa de livros em conformidade com a versão homologada da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).
Esse conjunto de postagens tem sido feito exclusivamente com livros de Língua Inglesa e Língua Portuguesa. Os livros das demais disciplinas serão analisados em outra oportunidade. 
Os livros são organizados em capítulos. Cada um deles, além de contemplar um aspecto gramatical é regido por um tema específico.  
Alguns dos temas recorrentes nos capítulos do 6º ao 9º ano são: fake news, aquecimento global, globalização, multiculturalismo, interculturalismo, gênero, feminismo, racismo, discriminação, cidadania global, direitos humanos, engajamento em protestos polít…

O movimento feminista no livro didático do MEC para 2020

Esta é a terceira de quatorze postagens que este blog apresenta sobre alguns temas abordados pelos livros didáticos recomendados pelo MEC (PNLD/2020) para os anos finais do Ensino Fundamental  (6º ao 9º ano), com validade de quatro anos: 2020 à 2023. 
Trata-se da primeira remessa de livros em conformidade com a versão homologada (dez/2017) da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para a Educação Infantil e o Ensino Fundamental, crianças de 0 a 14 anos. 
O objetivo desta postagem é mostrar a presença do feminismo no currículo dos anos finais Ensino Fundamental, através de páginas escolhidas em 10 livros diferentes de Língua Inglesa e Língua Portuguesa do PNLD/2020.
Esta postagem, neste momento, não analisará pontualmente as páginas e imagens apresentadas, deixando essa tarefa por conta do leitor e dos especialistas em educação.  
A observação da existência de um modelo gradativo de ensino que vem desde a Educação Infantil permite supor que, ao final do Ensino Fundamental, os alunos terão c…

Tábata Amaral aparece em livro didático do MEC de 2020

Esta é a primeira de uma série de 14 postagens que este blog realiza sobre ocorrências "questionáveis" nos livros didáticos reconhecidos pelo MEC/2020, anos finais do Ensino Fundamental, com validade para um período de 4 anos: 2020 a 2023. 



O livro de Língua Inglesa "BECOME", da Editora FTD, do PNLD 2020, cuja coleção tem o código 0357P20092, é destinado ao 7º ano do Ensino Fundamental. Ao longo das páginas 18-31, apresenta uma lição que trata da importância da Língua Inglesa para a inserção social e a formação de cidadãos globais, em consonância com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC).
edital de convocação 01/2018 SEB/MEC  deu origem a este livro. A finalização do processo de escolha deu-se por meio da Portaria nº 27/2020 SEB/MEC PNLD 2020. Um edital que teve início no governo Temer e terminou no governo Bolsonaro.
Leia:  Editais de materiais didáticos que se estendem até 2023
O livro propõe ao aluno não somente a leitura mas também a reflexão sobre perfis public…

A BNCC em um voo de galinha da direita brasileira

No final de 10 anos, praticamente toda a população brasileira abaixo dos 25 anos terá sido escolarizada em conformidade com os desdobramentos da Escola de Frankfurt), o universalismo cultural e a Agenda 2030 de desenvolvimento sustentável da Unesco.



Prevista em Lei,[i] a Base Nacional Comum Curricular (BNCC),[ii] obrigatória para a Educação Infantil e o Ensino Fundamental (crianças de 0 a 14 anos) de todas as creches e escolas públicas e privadas, com validade a partir de janeiro de 2020, foi aprovada pelo Conselho Nacional de Educação (CNE)  no dia 15 de dezembro de 2017 e homologada cinco dias depois[iii] pelo Ministro da Educação (MEC), Mendonça Filho.
Os dois anos seguintes à homologação[iv] foram dedicados para: 1) ajustar os currículos de todas as creches e escolas do país à BNCC; 2) adequar os conteúdos dos materiais didáticos; 3) mudar as avaliações institucionais da Educação Infantil e do Ensino Fundamental; 4) reformular os currículos de licenciatura das faculdades e universid…

Livros do MEC de 2019 trazem cardápio religioso para as crianças

Em atendimento à proposta de ensino religioso da BNCC, diferentes crenças, ritos e tradições religiosas são apresentadas às crianças pelos livros didáticos do PNLD/MEC do quadriênio 2019/22. Tudo de acordo com a visão materialista das ciências humanas e sociais.

Durante a elaboração da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), havia a possibilidade de escolher entre pelo menos quatro alternativas para o Ensino Religioso.
A primeira, esquivar-se do tema deixando que escolas e sistemas educacionais se organizassem livremente de acordo com a legislação vigente. 
A segunda, acompanhar a interpretação do Superior Tribunal Federal (STF) pela constitucionalidade do ensino confessional nas escolas por ocasião do julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 4439, que decidiu pela constitucionalidade do ensino religioso confessional nas escolas oficiais do país. 
 A terceira, apresentar um estudo eminentemente histórico e descritivo das religiões, de maneira isonômica. 
A quarta, questiona…

Afinal, o que mais incomoda aos conservadores na BNCC?

O Censo Escolar (INEP/MEC, 2018) conta 36 milhões de alunos matriculados na Educação Infantil e no Ensino Fundamental, crianças de 0 a 14 anos. Estes dois grupos de alunos representam aproximadamente 17% da população brasileira.  
Em 10 anos, não será surpresa se a população abaixo dos 25 anos estiver próxima aos valores políticos e sociais encontrados em segmentos da Escola de Frankfurt, ao universalismo cultural e à Agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável da Unesco.
A BNCC (da Educação Infantil e o Ensino Fundamental) organiza-se, implícita e explicitamente, com pelo menos essas correntes filosóficas e pedagógicas: materialismo dialético, teoria crítica, socioconstrutivismo, sociointeracionismo, relativismo, evolucionismo, desconstrutivismo, multiculturalismo, interculturalismo e politicamente correto. 

Portanto, por mais que os governos direitistas avancem na economia, justiça, segurança, infraestrutura e no comércio... Por mais que ressaltem o nacionalismo e os valores conserv…

Ocultismo e assassinato em contos para alfabetização e letramento na escola pública

Um livro de contos macabros, com requintes de terror e pânico para crianças em fase final de alfabetização e letramento de escolas públicas, vem recebendo severas críticas de pais, professores e políticos. Essa reprovação acontece porque, na intenção deliberada de provocar medo no leitor, os organizadores recorreram a relatos de magia negra, bruxaria, feitiçaria, sacrifício com sangue humano e de animais, aparição de espíritos, demonismo, maldade com pessoas e animais, além de assassinatos.
O programa escolar de leitura e escrita que resultou no livro de contos BÚ! Histórias de Medo e Coragem, é uma iniciativa da empresa espanhola de energia, Endesa Brasil, em parceria com o Ministério da Cultura e publicado com ajuda da Lei de Incentivo à Cultura. Desde o começo deste ano, a obra é distribuída para escolas públicas e utilizada no processo de alfabetização e também letramento de crianças do 4º e 5º anos do Ensino Fundamental.
No ano passado, a empresa realizou um concurso literário em 5…