terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Questionando conteúdos em livros didáticos de 2014





Assessora parlamentar Damares Alves, pastor Valdery Alves e prof. Orley José da Silva, observam livros didáticos de 2014 (foto da assessoria do dep. Arolde de Oliveira)



arolde de oliveira Deputado Federal Arolde de Oliveira


De: 04/08/2014

Denuncia nas escolas: livros didáticos que pregam rebeldia




Obras usam poemas que incitam desobediência aos pais e até incentivam a invocação de espíritos.
Integrantes do Movimento Escola Sem Partido e do Fórum Evangélico Nacional de Ação Social e Política (FENASP) estiveram em reunião no gabinete do Deputado Federal Arolde de Oliveira para denunciar livros didáticos e paradidáticos aprovados pelo Ministério da Educação (MEC) que pregam a rebeldia e desobediência aos pais.
Um dos livros ainda incita crianças e adolescentes a invocarem espíritos. A reunião teve a presença do Pastor Valdery Alves (FENASP) e do professor Orley José da Silva (Movimento Escola Sem Partido) e a Assessora Parlamentar Damares Alves. “Discutimos e analisamos alguns livros que estão chegando às escolas. Eles ensinam as crianças a se rebelarem contra os pais. O Deputado Arolde de Oliveira vai cobrar informações ao Ministro da Educação sobre o critério para seleção destas obras literárias”, disse a assessora do Deputado Arolde de Oliveira.
As denúncias pretendem alertar professores e pais. Os profissionais da educação terão a oportunidade de 22 de agosto a primeiro de setembro pra informarem no sistema eletrônico do Fundo Nacional do Desenvolvimento da Educação quais são os livros que eles desejam usar no ano que vem através da consulta do Guia dos Livros Didáticos de 2015. A iniciativa visa evitar conteúdos ideológicos na educação de base.
(Redação
Fonte: http://www.aroldedeoliveira.com.br/noticia/denuncia-nas-escolas-livros-didaticos-que-pregam-rebeldia/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leonardo Sakamoto é referência em livro didático do MEC para 2020

Esta é a sexta de uma série de 14 postagens que este blog realiza sobre ocorrências "questionáveis" nos livros didáticos recomend...